Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gato com Vertigens

Um espaço com ideias para pensar, divertir e partilhar.

Gato com Vertigens

Um espaço com ideias para pensar, divertir e partilhar.

O gato com vertigens é um blog que se destina a todos aqueles que tiverem algo de inteligente para dizer ou que queiram aprender mais sobre o mundo em que vivemos. Quer seja um comentário a uma notícia, um elogio, uma celebração, um desabafo ou uma denúncia, a sua opinião é bem-vinda.

 

Em Lisboa há 5600 habitantes sem água canalizada em casa

Num país que está na presidência da União Europeia, não se arranja dinheiro para pôr a água em casa de 5600 pessoas idosas, sem recursos e que vivem em casas alugadas, em condições precárias e com reformas de miséria?
Leiam a notícia do Jornal de Notícias e digam se não dá vontade de gritar: SOVINAS!

Chafarizes são a "salvação" para milhares de lisboetas
Os chafarizes ainda são a única solução para cerca de 5600 moradores de Lisboa que vivem sem água canalizada. Uma realidade bem conhecida de Maria Lucinete, que já perdeu a conta aos jarros com água que carregou na última década. Com 64 anos e depois de sobreviver a dois acidentes vasculares cerebrais, Maria Lucinete desce com "muito custo" a rua principal do Bairro da Liberdade, em Campolide, para ir buscar água ao chafariz, encostado ao Aqueduto das Águas Livres. Mas a tarefa mais difícil é subir a rua, muito íngreme, com dois garrafões cheios de água.

Chegando ao portão da vila operária onde reside, surge outro obstáculo uma escada ainda mais íngreme, onde mal cabe uma pessoa e sem corrimão onde se possa amparar. Os garrafões ficam à porta, numa varanda exígua, assim como os alguidares cheios de água. Envergonhada, Maria Lucinete mostrou a sua casa: uma assoalhada mínima que faz de quarto e cozinha, apenas com uma cama, um fogão e muitos objectos à mistura.

Lá fora, na varanda, tem uma sanita que não pode utilizar porque a água vem toda para fora. "Tenho de fazer as necessidades num balde e depois deitar ao lixo", contou a moradora, que toma banho em casa, num alguidar "Fico mais à vontade do que se fosse ao balneário público".

Instalar água canalizada em casa está fora das possibilidades financeiras de Lucinete, que mal tem dinheiro para pagar a renda de casa, cerca de 62 euros. "É muito dinheiro", exclamou a moradora, que para sobreviver faz recados aos vizinhos a troco de "um a dois euros".

Noutra rua do mesmo bairro mora José Manuel Paulos, que se desloca apoiado em duas muletas devido a uma deficiência nas pernas. Por essa razão tem de pagar a um vizinho para lhe ir buscar água ao chafariz. "Moro aqui há 53 anos e nunca tive água", contou o morador, que, ironicamente, tem casa de banho, onde "apenas" faltam torneiras. Em vez disso, tem cântaros cheios de água espalhados pelo espaço.

A senhoria de José Paulos construiu a casa de banho com a intenção de instalar as canalizações, mas acabou por nunca o fazer. Entretanto morreu e a casa passou para vários herdeiros, o que complicou a situação do inquilino, sem dinheiro para suportar a instalação da água.

Escrito por Helena Neves - Lusa

Casos são conhecidos
Os casos destes moradores assemelham-se a outros existentes no Bairro da Liberdade, que, segundo o presidente da Junta de Freguesia de Campolide, são meia centena. São habitações precárias, construídas há cerca de 60 anos sem licença de habitação que "não têm o mínimo de condições de habitabilidade", contou Jorge Santos. Este problema estende-se a outros bairros da capital, como Alcântara e o Beato. "Temos muitos casos de pessoas sem água canalizada e sem instalações sanitárias, principalmente nos pátios, que se socorrem dos chafarizes", disse o presidente da Junta de Freguesia de Alcântara, José Godinho.

Para diminuir o problema, a junta pagou a instalação da água a alguns moradores com maiores dificuldades financeiras. Na freguesia do Beato também há casos de habitações com cerca de 70 anos que não têm abastecimento de água, nomeadamente na Calçada e no Beco da Picheleira, que nunca pediram o ramal à Empresa Pública de Águas Livres.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.