Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gato com Vertigens

Um espaço com ideias para pensar, divertir e partilhar.

Gato com Vertigens

Um espaço com ideias para pensar, divertir e partilhar.

O gato com vertigens é um blog que se destina a todos aqueles que tiverem algo de inteligente para dizer ou que queiram aprender mais sobre o mundo em que vivemos. Quer seja um comentário a uma notícia, um elogio, uma celebração, um desabafo ou uma denúncia, a sua opinião é bem-vinda.

 

Louvado seja o Senhor...

Um dia destes estava eu a passar em frente a uma livraria evangélica, quando vi um autocolante que dizia «Se você ama Jesus, buzine». Comprei um e apliquei-o no vidro traseiro do meu carro. Bendita a hora em que o fiz. Aconteceu-me uma experiência ímpar.
Eu estava parado num cruzamento muito movimentado com o sinal fechado, pensando nas coisas do Senhor, e não notei que o sinal passou a verde. Aquele autocolante funcionou mesmo. Encontrei imensas pessoas que amavam Jesus. Vejam só, o homem que estava atrás de mim começou a buzinar que nem um louco. Ele devia amar o Senhor de verdade, porque logo a seguir ele curvou-se para fora da janela e clamou: «Jesus Cristo» tão alto quanto podia.

Parecia um jogo de futebol, com ele a gritar: «Anda, Jesus Cristo, anda». Todos os outros começaram a buzinar também, então inclinei-me para fora da janela, acenei e sorri para todos aqueles amados irmãos.
Havia um homem que devia ser de alguma igreja pentecostal, porque pude ouvi-lo clamar algo como «luta que caiu», e vi-o acenar com um gesto engraçado, com o dedo médio apontado para o céu. Creio que esse gesto é usado pelos pentecostais para desejar bênçãos celestiais aos irmãos.
Então eu retribuí a bênção acenando com o mesmo gesto. Alguns carros atrás, um homem enorme que conduzia um táxi desceu do carro e gritou qualquer coisa. Não pude ouvi-lo muito bem, mas parecia ser algo como «Teu filho na luta!» ou coisa parecida. Decerto também estava envolvido em alguma batalha espiritual. Ele devia mesmo amar o Senhor.
Algumas pessoas ficaram tão envolvidas pelo intenso júbilo daquele momento de glória que saíram dos seus carros e vieram a andar na minha direcção. Creio que eles queriam orar, mas naquele instante notei que o sinal ficou amarelo, e embora quisesse ficar ali com aqueles irmãos tão amorosos, carreguei no acelerador.
Fui o único motorista que conseguiu atravessar o cruzamento. Olhei para trás e vi que eles estavam lá, todos parados. Então dei-lhes um grande sorriso pela janela e acenei com o gesto pentecostal de bênção aos irmãos, e fui-me embora.
Louvado seja o Senhor por existirem pessoas tão maravilhosas à face da Terra...

Fonte: anedota recebida por e-mail.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.